quinta-feira, 15 de maio de 2014

Lugar-comum

Não sei mais o que escrever,
Varreu-se a vontade e o saber
Das palavras e dos sentidos que outrora tão bem analisava.
Já não sei sentir.
Ou já não me sei exprimir.
Estranho fado para quem sempre foi tão crua,
Parar na mesma rua que outro bardamerda qualquer.
Não passo de um triste bando de clichés,
Entorpecidos em álcool e sonhos. 

quarta-feira, 14 de maio de 2014

Candy (2006)


Once upon a time, there was a Candy and Dan... Things were very hot that year... All the wax was melting on the trees... He would climb balconies, climb everywhere. Do anything for her... Oh Danny boy. Thousands of birds. The tiniest birds adorned her hair... Everything was golden... One night the bed caught fire... He was handsome, and a very good criminal... We lived on sunlight and chocolate bars... It was the afternoon of extravagant delight... Danny, the Daredevil... Candy went missing... The day's last rays of sunshine cruise like sharks..."I wanna try it your way this time!" You came into my life really fast, and I liked it. We squelched in the mud of our joy. I was wet thighed with the surrender... Then there was a gap in things... And the whole earth tilted... This is the business. This is what we're after. With you inside me... Comes the hatch of death...


sábado, 12 de abril de 2014

Escaroupim


Salvaterra de Magos esconde um recanto de pescadores com barcos de madeira pintada, casotas coloridas e o Tejo como vista. O Escaroupim, nome caricato para um lugar peculiar, é mais bonito no verão e com a maré cheia, mas nunca desaponta. Perdido entre estradas de terra batida, salgueiros e a agitação das cegonhas  - demasiadas, a julgar pelo lastimável estado da ilhota defronte que parece sofrer com a crise da natalidade portuguesa -, este cantinho à beira rio é de uma simplicidade necessária a quem durante a semana tem o regular trânsito citadino como silêncio restrito.
Uns quartos de hora a observar a tranquilidade das águas e aperta a fome ou, somente, o desejo de petiscar. Enguias fritas, "pipis", camarões do rio, ou qualquer outra iguaria típica de ambas as margens do Tejo, proporcionam o desfecho ideal para uma tarde solarenga. 








                                 A revista Volta ao Mundo referiu o Escaroupim n'Um Segredo Chamado Tejo