quinta-feira, 11 de abril de 2013

Thank You For Smoking

Não atentem no título literalmente. Fumar não é bom, e duvido que alguma vez o passe a ser. Thank You For Smoking apenas pegou no exemplo do tabaco para explicar aspectos bastante comuns no mundo empresarial, na política e no marketing. Afinal, é tudo uma questão de oratória, ou melhor dizendo, de argumentação. Claro que, neste caso, estamos perante o exemplo das tabaqueiras americanas e, por isso, elas têm de agradecer o acto de se fumar. Mas isso tudo seria em vão, não fosse o poder de argumentação de Nick Naylor. 
E como podemos ver no poster ao lado, "Ele não esconde a verdade, apenas a filtra". E é assim que tudo funciona com ele, e com o trabalho que faz, ao 'proteger' as indústrias tabaqueiras, enquanto tenta educar o seu filho.
Nick, de facto, não esconde a verdade. Aliás, esta está à vista de todos. Mas enquanto conseguir provar que os outros estão errados, ele acaba por estar certo, e por isso - juntamente com os seus esforços para inovar e provocar o desejo pelos cigarros no público -, as indústrias vão sobrevivendo. Contudo, não se pense que este homem não é afectado pela consciência e pela moralidade, porque o é. 
Todas estas questões estão analisadas no filme: a sua personalidade, as suas dúvidas, as questões das tabaqueiras, os negócios e os esquemas. Aquilo que apenas tenho a salientar no argumento é que poderiam ter ido ainda um pouco mais longe nas questões do Marketing e Publicidade - um pouco em jeito de Mad Men.
A estrutura das cenas pareceu-me bastante semelhante ao American Beauty, tanto que inicialmente supus que o realizador fosse o mesmo, mas não é: o narrador ser a personagem principal, a banda sonora, o estilo marcadamente americano, tudo isso é muito similar - e para mim são pontos positivos. 
Recomenda-se. Amantes do cinema, mas sobretudo, pessoal da Comunicação, do Marketing e Publicidade,  não deixem de ver! 

Sem comentários:

Enviar um comentário