quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Para a Primavera é uma coisinha destas e um monte de livros

E já agora, o lago. Não nos esqueçamos do lago. Quero o serviço completo. 


2013 - A Odisseia de Qualquer Coisa

Sou uma pessoa muito organizada, ou pelo menos faço por isso. Então, quando criei o meu tumblr decidi que seria apenas para reblogar imagens de street style, design e comida. Imagens que de alguma forma se relacionam, não existindo uma grande discrepância de temas, estilos e género fotográfico. 
Acontece que o meu lado nerd ou geek despertou de uma forma nos últimos tempos que acabei por me render a um segundo tumblr
E é isto, porque uma pessoa não é apenas uma coisa, ou duas; E tem várias facetas e vários gostos. Porque a personalidade de uma pessoa é formada e construída por pontos que se tocam mas que nem sempre são idênticos... 
Assim, após já vos ter dado a conhecer o tumblr do Nouvelle Point, deixo-vos agora o meu novo bebé: 2013 - A Odisseia de Qualquer Coisa. Lá podem encontrar imagens giras e divertidas, cenas de filmes, actores e actrizes e tudo o que não se encaixando no primeiro tumblr, eu goste. 

domingo, 24 de fevereiro de 2013

Não são previsões; são tipo desejos e coisas quase garantidas

Não posso falar com precisão pois não vi todos os filmes nomeados, apenas vi alguns. 
Contudo, faço assim uma espécie de aposta em género de desejo e falo do que me parece quase óbvio; Tal como a vitória de Lincoln e de Daniel Day-Lewis, tendo em conta tudo o que li sobre o filme e a interpretação do actor. 
Ora, agora entram os meus desejos. Cristoph Waltz, em Django, acho que seria mais do que merecido, e as vitórias para as minhas meninas também: Jennifer Lawrence e Anne Hathaway estou com vocês, a 100%. Para tornar as coisas um pouquinho creepy, Tim Burton e o Frankenweenie para Melhor Filme de Animação, se bem que duvido, imenso. Já que estamos numa de animação o Paperman devia levar a Melhor Curta. 
Adiante: Anna Karenina para Melhor Guarda-Roupa; a sério, já viram algum filme ditar tendências? De certa forma aconteceu… Para finalizar, Hitchcock com Melhor Caracterização. Já que o filme em si não está grande coisa, e não vai muito além de um 6.5; Django pela Montagem de Som, não sei se vencerá, mas que está muito boa, está e Melhor Argumento Original também. Sim, eu sei que deve ser uma hipótese meio remota, mas… Melhores Efeitos Especiais para o Hobbit. Vá lá!! Os ‘bichinhos’ merecem um prémio...
Para os entendidos, não, não estão presentes todas as categorias, mas como referi no início não me sinto com capacidade para falar sobre todas. E pronto, é isto.  Vamos esperar pela grande noite, sem pipocas - esqueci-me de comprar -, mas com um cházinho. 


Ps: VESTIDOS! VESTIDOS EVERYWHERE!

E a missão para hoje é não adormecer durante os Óscares

Sim, pois. Vamos todos acreditar que isso não vai acontecer, só para eu me sentir melhor. 


quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

Porque é que nas primeiras semanas de um novo semestre sentimos sempre que não somos nada produtivos?

Acordar, tomar o pequeno-almoço, tomar banho, almoçar, ir para a faculdade. Voltar da faculdade - espreitar a Baixa pelo caminho -, ver televisão e pensar que devia estar a ver um filme enquanto lancho, espreitar as séries da Fox e Foxlife; Jantar, ver a Avenida Brasil. Petiscar qualquer coisa, fazer chá, ir para a cama e ver o CSI

Hum...

domingo, 17 de fevereiro de 2013

Parem lá com os casacos sensacionais, sff


carolinesmode.com

Animal Print

 Leopardos, tigres e bichos com pêlo às bolinhas e assim; É tudo o que eu consigo pensar neste momento. 




             

  Ps: Tenho imensas saudades do meu exemplar que ficou sozinho em Lisboa. Odeio ter duas casas e dois armários... 

Encontrei as fotografias aqui

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

Blue Valentine

Blue Valentine é real, é cru. O amor é delicioso, sim, é; mas também se pode tornar doentio. Ou num vazio imenso. A verdade é esta, por mais triste e deprimente que seja. E não importa o quão grande, desafogada, profunda, foi a paixão; o romance; o amor. 
Blue Valentine ganha por isto tudo. Imensos realizadores preferem ficar-se por romances banais, mas são estórias como esta que nos fazem pensar. São personagens como o Dean e a Cindy que nos fazem pensar naquilo que temos e naquilo que queremos ter, e no que temos de fazer para lá chegar. 
Adoro a Michelle Williams, e o Ryan Gosling também não se deixa ficar. Michelle encaixa no papel na perfeição, passando de adolescente para uma mulher amargurada e desiludida. Ryan faz o mesmo percurso: de jovens adorável a adulto falhado. Contudo, ambos se vêem de forma diferente, e ambos aspiram coisas diferentes, mantendo-se numa relação de amor/ódio. Talvez por isto Blue Valentine seja uma boa escolha, até para o Dia dos Namorados. 

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

Para hoje, é isto #8

Chamei-o de 'Winter Outfite' no Polyvore, mas a razão de ter feito este set prende-se apenas com o casaco. Tenho um muito semelhante que adquiri o ano passado nos saldos. Este Inverno, ele tem sido o meu melhor amigo por uma razão muito simples: consigo combina-lo com tudo! É quente, confortável, casual mas consegue ser chique. Fica bem com sweats, pullovers, camisas... ténis ou botas. 
O engraçado é que na altura estava um pouco indecisa, não sabia se havia de o comprar ou não. O H. disse que eu tinha de leva-lo! Que se não levasse depois me ia arrepender. E não é que ele tinha razão?


quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

Dia Mundial da Rádio

Quando era mais nova passei por todas as profissões. Tive a fase de querer ajudar os outros, de ensinar, e depois, com o tempo, comecei a escolher profissões que se aproximavam cada vez mais da área que acabei por seguir; Comunicação. Sempre fui tímida e o jeito para me relacionar com os outros não é, nem era, o melhor, por isso, nunca me vi a apresentar um programa de entretenimento - mas ainda pensei na hipótese do telejornal. 
A Rádio parecia-me bem. Desde cedo me habituei a ouvir rádio, e gostava das vozes fortes dos senhores e das senhoras. Bastava-me falar. Ninguém me veria, apenas ouviria.  A curiosidade e o desejo foram grandes. Contudo, foi no Jornalismo, na escrita, que encontrei aquilo que gostaria de fazer para o resto da minha vida. Isto até passar pelo Cenjor, até ter Rádio e Multimédia, até reparar que, porventura, a Rádio talvez nem fosse uma má aposta. 
Ver aquilo que escrevemos publicado em qualquer lado, por mais simbólico que seja, enche-nos de orgulho. Ouvir a nossa voz, pelo contrário, é estranho. Questionamos-nos com frequência "Esta é a minha voz? Que estranho! Eu falo assim? Credo!!". A magia acontece quando, após todas estas questões, dizemos "É a minha voz... E eu acho que soa mesmo bem!" 


Les Adieux à La Reine

Em português, Adeus, Minha Rainha, é um filme francês que, contrariando o habitual, não retrata apenas a vida de Marie Antoinette pela corte, os seus luxos e caprichos. Retrata, sim, apesar de conter a parte dos seus luxos e caprichos - que mais poderia ter se era esse o seu feitio e modo de vida? -, o lado de quem a servia. 
Sidonie Laborde é, então, a personagem principal desta película que retrata a paixão e a devoção que esta jovem possuía pela rainha e onde estes a levaram. 
O enredo pega, ainda, num pormenor que escapa em alguns relatos: a homossexualidade da rainha - ou apenas mais um dos seus caprichos? Não importa. 
A analogia mais interessante do filme é a relação entre os que viviam na corte de Versailles: o luxo tremendo dos reis, a pobreza de quem lia à rainha - Sidonie era sua leitora pessoal -, e os intermediários, que viviam segundo o estatuto, a importância, os títulos. Um monte de pessoas que vivia na corte apenas para bajular os reis e os puder observar diariamente.
Em suma, o início da Revolução Francesa pelo olhar de Marie Antoinette, os seus criados, os que viviam na corte e sobretudo, pelo olhar e pelas vivências de Sidonie Laborde. 

terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

MBMJ make up

Cabelo desgrenhado esvoaçante; Lábios vermelhos, brilhantes e no centro das atenções; Sobrancelhas largas e definidas. Sensualidade, sofisticação e, ao mesmo tempo, todo um toque clássico. É Marc by Marc Jacobs e estas são as nossas fantásticas it girls

Cara
Daphne

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

Assim; Até podem ser dos trezentos, desde que sejam igualmente lindas





Hitchcock

Não é um estrondo de filme mas, quando acaba, deixa-nos com vontade de ir pesquisa tudo e mais alguma coisa sobre Alfred Hitchcock. É claro que todos gostaríamos que as cenas relativas às filmagens de Psycho fossem mais mas, o enredo é sobretudo sobre a relação de Hitchcock com Alma, a sua esposa - que aqui recebe o merecido crédito e 'eterno' elogio -, durante a rodagem. 
Anthony Hopkins leva o filme às costas com a sua prestação. Não menosprezando as restantes mas  é, absolutamente, um papel de outro nível e de outra categoria, que se eleva perante os demais. É delicioso observar como Hopkins estudou a personagem e a transpôs para a tela, com a ajuda de um excelente trabalho de caracterização. 
Já a prestação de Helen Mirron é mais difícil de avaliar dada a ausência de informações relativas à personalidade concreta de Alma. No geral, acho que encaixa no enredo e gosto do caminho tomado, mas se é 'o' correcto, bem... não se sabe. 

terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

Séries e mais séries

Ano novo, novas temporadas a estrear. Não sei onde irei arranjar tempo para ver tudo isto mais filmes, mas o calendário e as séries são, mais ou menos, estas: o meu quarteto favorito. 

Unce Upon a Time -  disponível agora 

Girls - disponível agora

Mad Men - em Abril
Game of Thrones - em Março/Abril

Redes sociais e indivíduos que se replicam vezes sem conta

Há algo que me intriga. Existem várias redes sociais - não faço parte de todas e mais algumas, sou selectiva e tenho pouca paciência para certos cibernautas -, mas é do senso comum que cada rede tem a sua função principal. Por exemplo, observando as que utilizo, diria que o Facebook serve para se estar ligado aos amigos e partilhar coisas do nosso dia-a-dia, funciona como um perfil online que nos representa nos mais variados aspectos. O Blogger é dedicado a conteúdos mais profundos, análises, pensamentos; é um diário em rede onde as imagens e as palavras se interligam. O Instagram permite-nos partilhar com fotografias pequenos detalhes do nosso dia. O tumblr funciona, acima de tudo, como uma base de dados para imagens, fotografias, enfim... dados visuais no geral. Já o Twitter serve para partilhar frases, citações, coisas curtas... 
Ora, o que me intriga é que existam pessoas a utilizar todas estas redes com o mesmo propósito e objectivo: a promoção do que vestem. Seria de esperar que certos bloggers fossem um pouco mais criativos, mas não (pelo menos não todos). Existem indivíduos que publicam os outfites no seu blogue, depois divulgam pelo Facebook e por todas as restantes redes. Honestamente, é uma verdadeira seca. E sim, já fiz várias limpezas, em várias redes, devido a esse facto. 
Quando se acompanha uma pessoa em várias redes espera-se, no mínimo, conteúdos diversificados e, quem sabe, conhecer as várias facetas dessa mesma pessoa. Ninguém aguenta ver as mesmas imagens partilhadas por várias redes, meus caros. É demais. É um desperdício. E volto a frisar, já ninguém aguenta!!
Posto isto, aqui fica um pedido, e quiçá uma sugestão: sejam mais criativos, por favor, e diversifiquem! 

domingo, 3 de fevereiro de 2013

O verde na comida

Tenho vindo a reparar que, no que diz respeito à comida, sou fortemente influenciada pelas cores. Um prato que tenha várias cores é-me visivelmente mais apetecível. Quando uso molho de tomate tento coloca-lo na quantidade certa para ficar com "aquela" cor. Sempre que como fora, ou petisco alguma coisa,  aprecio as sandes, sobremesas e iogurtes tendo em conta a variedade das cores. E, uma coisa que tenho vindo a confirmar, é o facto de o verde ser das cores mais atractivas para mim. Alface, kiwis, alho francês, couve, brócolos; resumindo, todos aqueles legumes que a maioria foge, fazem as minhas delicias. Até a gelatina gosto de tutti-frutti, porque é verde (e sabe bem!).
Depois disto estou faminta! 





tumblr.

sábado, 2 de fevereiro de 2013

A culpa é da Jane

... e dos seus tutus. Raio da miúda usa tutus em quase todos os episódios de Jane by Design. E ficam tão giros!