quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

Django Unchained

Li algures uma daquelas fantásticas críticas onde a criatura afirmava que o filme estava 'meh'. Segundo o mesmo, o Django não retratava o bom e velho estilo do Tarantino. Na altura fiquei com a pulga atrás da orelha. Agora afirmo: A SÉRIO? Não devemos ter visto o mesmo filme
Ora, vamos por partes... O Tarantino pegou num assunto sério, e realizou um filme sério, mas que ao mesmo tempo nos faz rir de cinco em cinco minutos. Faz-nos lembrar, sei lá, Pulp Fiction?! Inglourious Bastards?! Os actores escolhidos, as interpretações dos papéis, os diálogos, não estão ao estilo do Senhor? Depois, por exemplo, ouçamos a banda sonora. Não é Tarantino? E o design gráfico? As letras e o estilo do genérico e das fichas técnicas? E o banho de sangue? Bem, se este não é Tarantino, então não sei. 
Quanto às prestações individuais, Jamie Fox fez, provavelmente, o filme da sua vida! Conseguiu aliar o estilo rapper ao de western e criar algo de 'único'; Christoph Waltz volta a surpreender com um papel que lhe encaixa que nem uma luva; O DiCaprio está um actor crescido, maduro, e é com enorme prazer que digo sempre tive fé em ti, fazes de louco na perfeição; L.Jackson é como o vinho do porto, quanto mais velho, melhor e a Kerry Washington afasta-nos de toda a sua doçura com um papel e uma interpretaçãos dura e emocionante.
Convém admitir que não sou uma profissional... Mas verdade seja dita, tinha saudades de ver um filme assim. Um filme que me deixava cativada do inicio ao fim, a rir ao mesmo tempo que me chocava, que fazia algo de mau entranhar-se-me pelos ossos. (Não rebaixando Os Miseráveis, que me fez sentir algo de parecido, mas nem por isso, semelhante. Sim, arrepiou-me, muito, mas não se pode sequer comparar). 
Quentin, tinha mesmo imensas saudades tuas. E, é sempre um prazer. Volta depressa! Btw, e só para finalizar: o Django é o maior!! 




Sem comentários:

Enviar um comentário