domingo, 25 de novembro de 2012

O mundo da fantasia

Tem piada. Quando era miúda, não ligava muito a essas coisas do 'mundo encantado'. Das estórias encantadas, dos príncipes e princesas. Sempre fui uma criança muito racional, e talvez demasiado madura para a idade. Agora tenho 20 anos e rendo-me à fantasia. Às estórias de encantar, ao mundo criativo e imaginário. Começou com o Star Wars, depois com Game of Thrones, seguiu-se The Hunger Games, com outros filmes e outras estorietas pelo meio. Hoje sinto que necessito desse mundo fantasioso e criativo. Desse mundo que não existe, mas que todos gostávamos que existisse, de uma forma ou de outra. 
Hoje, com 20 anos, entendo que eles são o nosso escape. O melhor escape de todos. E compreendi-o com Once upon a time, a realidade é debatida com a ficção e esse tal mundo encantando, de príncipes e princesas, personagens imaginárias e mundos sonhados. Não deixa de ser curioso que tudo isso aconteça - a minha necessidade de me ligar à ficção, ao imaginário -, por via das séries, dos filmes, dos livros. Às vezes penso que perdi imenso em criança, ao não me ligar muito com este lado. Outras vezes penso que é, era, apenas uma característica minha que fez de mim aquilo que sou hoje: uma pessoa directa, sem papas na língua, crua (demasiado crua, por vezes) e racional (demasiado, por vezes). 
Hoje penso: 'Talvez me devesse apenas deixar levar. Entregar a esses sonhos e fantasias'. Mas, por outro lado, sinto que o meu 'castelo' desabou. Contudo, imagino a minha vida e o meu destino pelo correrio de meia dúzia de personagens que sempre ouvi na minha infância, mas com as quais nunca criei laços. Crio-os agora. E.. deixo-me levar, por aquele que parece ser um mundo de sonhos, bem mais apetecível que o mundo real, aqui tão perto. Por ele, e por uma garrafa meio cheia, ou meio vazia, de whisky. Parece que tenho de começar a apanhar as pedrinhas de novo; construir uma nova fortaleza; um novo castelo, repleto de novos sonhos e ideias. A vida não pode ser apenas isto, certo? Tenho de encontrar o 'mais', o 'para além de', nem que seja a ver episódios de Once upon a time








Sem comentários:

Enviar um comentário