segunda-feira, 2 de julho de 2012

Comprar, mas a que custo?

Os chapéus são uma das minhas tendências preferidas para este verão. E como tenho um cabelo meio rebelde, ora liso, ora com jeitos e ondas largas, acho que me assentam muito bem. 
Hoje, andava à procura de um chapéu de palha normal. Entrei numa loja e logo bati de olhos num. Era perfeito, diga-se. Mesmo o que eu queria. Coloquei-o na cabeça e pensei «wooow». Era mesmo confortável. Daquelas coisas que assentam na perfeição. Virei-me para o espelho. Perfeito. Era mesmo aquilo. 

Depois, veio a parte pior. Tirei-o da cabeça e procurei o preço. «TRINTA E CINCO EUROS?» - pensei. Seguindo-se um «Esquece lá isso». De facto, era perfeito, era o ideal, era lindo e ficava-me mesmo bem. Mas 35€ por um chapéu de palha? É que nem morta. 

Sou uma pessoa bastante pratica: não me importo de gastar bom dinheiro numa boa peça, que sei que fará jus a esse preço e que durará mais. Ao mesmo tempo, não me importo de dar uns trocos por seja o que for, para que este faça o necessário. Um chapéu de palha encaixa na segunda opção. Se o posso ter por 5€, porque hei-de gastar 35? Com esse valor compro sete chapéus, ora! 


Sem comentários:

Enviar um comentário